sábado, 24 de outubro de 2015

Lição 13 - Discipulado 2

Lição 13 - Discipulado 2 - MISSÃO DE DISCIPULAR
 
 
Curso Prático de Evangelismo
 
1. O Propósito de Deus – Ele tem chamado do mundo um povo para si, enviando-o novamente ao mundo, para fazer discípulos de todas as nações. (Mt 25.19; Jo 20.21; At 15.14;)
2. A Autoridade da Bíblia – Como inerrante e infalível Palavra de Deus, afirmamos o poder das Escrituras Sagradas para efetuar o propósito de Deus na salvação do homem. (Rm 1.16; 2 Tm 3.16)
3. A Universalidade de Cristo – Afirmamos que só existe um salvador e um só Evangelho, embora haja uma variedade de maneiras de se realizar a obra de evangelização do mundo. (Jo 4.42; At 4.12)
4. A Natureza da Evangelização – Evangelização em si é a proclamação do Cristo bíblico e histórico como Salvador e Senhor, com o propósito de persuadir os homens, para que por intermédio Dele se reconciliem com Deus. (At 20.47; 2 Co 5.11, 20)
5. A Responsabilidade Social Cristã – “A fé sem obras é morta”, embora a reconciliação do homem com o homem, não signifique a reconciliação deste com Deus, nem ação social, evangelização, afirmamos que ambos são parcelas do nosso dever cristão. (Gn 1.26-27; Lc 6.27,35; Tg 2.14-26)
6. A Igreja e a Evangelização – A Igreja ocupa o ponto central do propósito divino, ela é o instrumento para difusão do evangelho. A evangelização mundial requer que a Igreja toda, leve a todo o mundo, o Evangelho Integral em trabalho mútuo de cooperação (Jo 17.21-23; At 1.8; Gl 6.14; Fp 1.27)
7. A Urgência Missionária – Com mais de dois terços da humanidade, ainda não eficientemente evangelizada, como Igreja, sentimo-nos envergonhados da nossa negligência para com tanta gente. Sendo cada geração responsável pela sua geração, esta é a hora da Igreja orar fervorosamente, e lançarem programas visando à evangelização total do mundo. (Jo 4.9; Rm 9.1-3; 10.11-16)
8. As Culturas e a Evangelização – A evangelização mundial requer o desenvolvimento de estratégias e metodologias novas e criativas, e a cultura de um povo em parte é boa e em outra parte má, devido à Queda, por isso deve sempre ser julgada e provada pelas Escrituras, para que possa ser redimida e transformada para a glória de Deus. ( Mc 7.8,9,13; Rm 2.9-11; 2 Co 4.5)
9. A Educação e a Liderança – Reconhecemos a grande necessidade de melhorar a educação teológica, especialmente em se tratando de líderes de igrejas, existindo em todo povo enorme necessidade de ensino e treinamento para seus pastores e aos leigos nativos. (At 14.21 – 24; Tt 1.5,9)
10. O Conflito Espiritual – Cremos que estamos envolvidos em guerra constante contra os principados e potestades do mal, que buscam destruir a Igreja e malograr sua tarefa de evangelizar o mundo, semeiam falsas doutrinas e mundanismo em nosso meio. O momento demanda vigilância e discernimento. (Jo 17.15; Ef 6.10-20; 2 Co 4.3)
11. Liberdade e Perseguição – A liberdade de praticar e propagar o cristianismo de acordo com a vontade de Deus é um direito nosso, conforme a Declaração Universal dos Direitos Humanos, mas não nos esquecemos de que Jesus nos advertiu de que a perseguição é inevitável, mas nem por isso devemos nos intimidar. ( Mt 5.10-12; At 4.16.21)
12. O Poder do Espírito Santo – A evangelização mundial só se concretizará com uma Igreja cheia do Espírito Santo, sendo Ele quem convence o homem do pecado. O Espírito Santo tem um profundo interesse missionário. (Jo 7.37-39; At 1.8; 1 Co 2.4,5)
13. O Retorno de Cristo – A promessa da segunda vinda de Cristo representa um incentivo a missões. Cremos que o período intermediário entre sua ascensão e o seu segundo retorno deve ser usado para o cumprimento da nossa missão como Povo de Deus, a obra missionária não poderá parar enquanto Ele não vier. (Mc 13.10; 2 Pe 3.13; Ap 7.9)
Síntese do Pacto de Lausanne  
1-LEITURAS IMPORTANTES:
Lc. 4:14-21 Sinais e prodígios e Milagres, pregação aos pobres de espírito onde quer que se encontrem (nós, hoje estamos pregando o evangelho fácil e comodista dentro de quatro paredes, mas Jesus nos ensinou a levar o evangelho onde quer que exista uma prostituta, um bêbado, um viciado, enfim aonde houver trevas que eu leve a luz).
Jo. 20.1 O primeiro Evangelista foi uma mulher, Maria Madalena. As mulheres precisam e devem ter maiores oportunidades na obra de Deus, o Espírito Santo não tem sexo, havia diaconisas na igreja que começou em Atos dos apóstolos, na época de maior machismo judeu; e agora? As mulheres podem entrar nas casas e ajudar na lavagem das vasilhas ou das roupas e até mesmo no feitio do almoço ou na confecção de um bolo; enquanto pregam o evangelho.
2-DEFINIÇÃO DE EVANGELISMO:
            É a arte de compartilhar a Salvação que recebemos e também o seu autor Jesus Cristo, com outra (S) Pessoa (S), através de comunicação direta e indireta.
 
3-DOIS TIPOS DE EVANGELISMO:
1.                  Evangelismo Pessoal: (Ex. Jesus e a samaritana, quebrando as barreiras do preconceito racial; Filipe e Eunuco, sinônimo de obreiro preparado para explicar a palavra de DEUS aos necessitados).
2.                  Evangelismo em massa: (Ex. Jesus e o sermão do monte, com as normas da nova religião; Paulo no Areópago, ensinando que filosofia não traz paz à alma e que só devemos adorar a um DEUS.)
4-ALGUMAS DÚVIDAS RESPONDIDAS ANTES DE INICIAR:
·                    II Coríntios 5:14,15 (Por que evangelizar?)
·                    II Timóteo 2:2-15 (O que é preciso para evangelizar?)
·                    Atos 20:24 (Com o que se preocupar?)
·                    Atos 18:9,10 (O que Temer? Tem 366 vezes a frase não temas na Bíblia.)
·                    Lucas 19:10 (A quem Evangelizar?)
·                    João 15:16 (Quem deve evangelizar?)
·                    Lucas 10:1 (Precisa de Grupos com muita gente?)
·                    Atos 16:13,14 (Quem vai fazer as pessoas se interessarem?)
·                    Provérbios 11:30 (Qual a verdadeira sabedoria?)
·                    Mateus 20:19 (Basta ganhar as almas?)
·                    Marcos 16:15 (Não fazer acepção de pessoas ou de lugares)
·                    Atos 20:20 (De casa em casa)
·                    Mateus 10:16 (Como se comportar?)
5-VISITAS:
            O horário de visitas é muito importante, não devendo as visitas ser de improviso. O horário sendo pré determinado traz algumas vantagens como:
-                                 Disponibilidade de tempo dos evangelizados.
-                                 Os problemas já estarão separados e prontos para serem lançados na conversa entre as duas partes.
-                                 Dificuldades bíblicas já estarão anotadas e separadas.
-                                 Interferências externas já anuladas previamente.
6-LIVROS A SEREM USADOS NO EVANGELISMO:
            
            Livro Seitas e Heresias (Autor: Raimundo F. Oliveira – CPAD)
            Algumas referências e passagens bíblicas importantes que deverão ser guardadas na memória e no coração para serem usadas na hora certa:
-                                 Mateus 10:32 e Mateus 11:28
-                                 João 3:16 e João 5:24
-                                 Romanos 3:23, Romanos 6:23 e Romanos 10:8,9
-                                 I Timóteo 2:5
7-OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
·                                            Em Antioquia houve um verdadeiro avivamento: Havia, profetas, evangelistas, pastores, doutores ou mestres e depois enviaram missionários (Apóstolos). At 13.1-4; Ef 4.11-15;
·                                            Também se manifestavam as operações do Espírito Santo 1 Co 12.8-12;
·                                            Em Samaria o povo se convertia porque via e ouvia os sinais que Filipe fazia At 8.5-21

Mais subsídios
O EVANGELISMO PRÁTICO:
            1) O QUE É EVANGELISMO?
            Evangelismo, vem da palavra evangelho, cujas raízes são: a palavra grega “evangelio”, que significa boas novas; e evangelizo que significa trazer ou anunciar boas novas. A palavra evangelho torna-se mais significativa quando estudamos o verbo hebraico “bisar”, que significa “anunciar”, contra, publicar, este verbo é aplicado em Is. 4.27; Sl. 40.9 e 10; Is. 68.11 e 12; que proclama a vitória universal de Jeová sobre o mundo. É proclamar o evangelho de Jeová sobre o mundo. É proclamar o evangelho de Jeová ao povo.
-                                 Evangelismo é a tarefa de testemunhar de cristo aos perdidos.
-                                 Evangelismo é a tarefa de levar homens a Cristo.
-                                 Evangelismo é alistar vidas ao serviços de Cristo.
-                                 Evangelismo é obedecer e proclamar as boas novas.
2) OBJETIVOS DO EVANGELISMO:
a)                                          Anunciar a Cristo (Jo. 1.36)
b)                                          Levar homens a Cristo (Jo. 1.41)
c)                                          Alistar vida para o serviço de Cristo (At. 11.25,26)
d)                                          Proporcionar o crescimento da igreja (At. 2.47;5.14;9.31)
Para atingirmos os objetivos para esta década no Brasil a igreja precisa cerca 20% ao ano:
-                                 Hoje ela esta crescendo 5% ao ano.
-                                 Uma igreja de 100 membros está crescendo 5 membros ao ano.
-                                 Precisa crescer pelo menos com 20 membros ao ano.
-                                 Uma igreja de 500 membros precisa batizar 100.
-                                 Uma igreja de 1000 membros precisa batizar 200 e assim por diante.
COMO DEVE SER FEITO O EVANGELISMO?
Com profundo amor
Com paciência e persistência
Ouvindo a pessoa evangelizada
Usando linguagem que as pessoas compreendam
Fazendo perguntas sábias sobre a salvação
Não fugindo do assunto da salvação
Ex.: Cristo e a Samaritana – Os Judeus não lidavam com os Samaritanos.
Evitando assuntos polêmicos e discussões
Evitando ficar irritado
Mostrando o plano da salvação de modo simples
Procurando responder todas as perguntas com apoio bíblico
Reconhecendo que só ovelhas geram ovelhas.
MÉTODOS DE EVANGELISMO:
1º Em massa
 Cristo e os Apóstolos sempre gostaram desse método.
Evangelismo em massa é alcançar muitas pessoas ao mesmo tempo.
Ex.: Cruzadas, Culto nos templos, Cultos nas praças e etc...
2º Evangelismo Pessoal
Cristo e os Apóstolos sempre usaram método de Evangelismo em massa, mas nunca desprezaram o evangelismo pessoal. Ex.: A Samaritana, Zaqueu, Nicodemos, o Eunuco de Candace, a Mulher Adúltera, A Sirofinicia e etc...
Evangelismo pessoal é uma pessoa ganhando outra pessoa. Discípulo. Ex.: Filipe e Natanael (Jo 1.43-46)
DISTRIBUIÇÃO DE FOLHETOS:  PONTOS A SEREM CONSIDERADOS :
1- Conhecer o folheto e sua mensagem
2- Entrega-lo com atitudes de interesse
3- Não insistir para que alguém o tome
4- Manter-se calmo e vigilante
5- Não discutir nunca
6- Se alguém jogar o folheto fora, torne-o ajuda-lo
7- Oferecer o folheto com um sorriso sincero e com as seguintes palavras: Boa Tarde, Quero oferecer-te: a) Uma mensagem importante, b) Algo de importância para sua vida, c) Um recado de Deus, d) Um folheto que explica o caminho da eterna salvação.
8- Dar o folheto carimbado
9- Conhecer como guiar uma alma a Cristo
PASSAGENS QUE O EVANGELISMO DEVE CONHECER BEM E ONDE ENCONTRA-LA
1- Os Dez Mandamentos Ex 20; Dt 5.
2- O sermão da Montanha Mt 5.6,7
3- A grande comissão Mt 28
4- O plano de salvação Jo 3.16; Jo 5.24; Rm 8; Is. 53.4,5; At 2.8,9,10,11.
5- Convicção de Salvação I Co 1.18 e 21
ESTRATÉGIA DE EVANGELISMO
1-   Nos lares, At. 5.42
2-   Nos hospitais, Mt 25.43
3-   Nas prisões, Mt 25.43
4-   Nas filas de ônibus
5-   No púlpito
6-   Nos bares
7-   Nos restaurantes
8-   Nos consultórios
9-   Nos colégios e universidades, At 19.9
10- Nos conjuntos residenciais – Folhetos...
11- Nas filas do INANPS e similares
12- Nos cemitérios- Dia de finados
13- Nas feiras livres
14- Nas Exposições
15- Nas Estádios e Similares – Folhetos específicos
16- Ao ar livre, At 16.13
17- Através do Telefone
18- Através de postais
19- Através de jantares
20- Através de um testemunho santo
21- Através do Rádio, Sl 19.1,3; Jr. 22.29; Sl 26.7
22- Através da Televisão, Mt 10.27
23- Através das caixas postais
24- Através de cruzadas Evangelísticas, At 8.5,6
25- Com Folhetos (oração)
26- Com jornais, Is 52.7; Am 4.5; Sl. 26.7; 68.11; Mc 1.45; 7.36; 13.10
27- Com cartões de oração
28- Com bíblias e Novos Testamentos
29- Com Cds
30- Com Fitas K-7
31- Com adesivos
32- Através da escola (Um aluno ganhando outros alunos)
33- Na beira de rios , nas praias, At 16.13-15

sábado, 25 de julho de 2015

Lição 1 da Revista 2 "O discípulo e a Comunidade"

Lição 1 da Revista 2  "O discípulo e a Comunidade"
 
Já dizia minha mãe: "Diga-me com quem tu andas e eu te direi quem tu és"
Sl 1,1 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores;
1 Co 15.33 Não vos enganeis. As más companhias corrompem os bons costumes.
1 Co 11.3 Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo.
1 Pe 4.4 E acham estranho não correrdes com eles no mesmo desenfreamento de dissolução, blasfemando de vós;
 
 
 
O CORPO DE CRISTO 
 
YAOHUSHUA, em hebraico = Josué, ou JESUS
hol-MEHUSHKHAY = CRISTO
Rukha = Espírito
YAOHU UL = DEUS
 
Em primeiro lugar a base escritural
Romanos 12:4-6a - "Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em CRISTO (o Messias), e membros uns dos outros, tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada...".
1 Coríntios 12:12-27 - "Porque assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a CRISTO (o Messias). Pois, em um só ESPÍRITO (Espírito), todos nós fomos imersos em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só ESPÍRITO (Espírito). Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Se disser o pé: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo. Se o ouvido disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser. Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde, o olfato? Mas DEUS dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como Lhe aprouve. Se todos, porém, fossem um só membro, onde estaria o corpo? O certo é que há muitos membros, mas um só corpo. Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não preciso de vós. Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários; e os que nos parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra; também os que em nós não são decorosos revestimos de especial honra. Mas os nossos membros nobres não têm necessidade disso. Contudo, DEUS coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros. De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam. Ora, vós sois o Corpo de JESUS; e, individualmente, membros deste Corpo".
Efésios 1:19-23 - "...segundo a eficácia da força do Seu poder, o qual exerceu Ele em CRISTO (o Messias), ressuscitando-O dentre os mortos e fazendo-O sentar à Sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro. E (DEUS) pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser O Cabeça sobre todas as coisas, O deu à IGREJA, a qual é o Seu Corpo, a plenitude dAquele que a tudo enche em todas as coisas".
Efésios 4:4 - "...há somente um corpo e um ESPÍRITO (Espírito), como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação..."
Efésios 4:15,16 - "Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo nAquele que é a Cabeça, CRISTO (o Messias), de Quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor".
O que é o Corpo de JESUS ?
A primeira coisa que nos vem à mente quando pensamos em um corpo é uma unidade orgânica harmoniosa, onde cada órgão e cada célula tem sua função específica. Dentro desta harmonia, cada célula beneficia e é beneficiada pelas demais.
As Sagradas Escrituras se referem a todos os que crêem em JESUS, como sendo o Seu Corpo espiritual. Uma simples e sábia forma de dizer que Ele é o Cabeça, pois detém todo o controle e poder decisório, e que nós, os que cremos, somos parte desta unidade orgânica com Ele.
A forma e a maneira como nos tornamos participantes deste Corpo é também simples e sábia: pela fé e confissão de JESUS CRISTO como nosso Salvador e Rei.
O fato é que, ao assim procedermos, somos imersos no Corpo de JESUS, o que se torna, espiritualmente, nossa primeira imersão; a imersão no Corpo de JESUS.
Este momento é quando nosso espírito renasce e passamos a fazer parte integrante, tanto da vida de JESUS, o Cabeça, como também parte integrante da vida dos irmãos, que igualmente compõem o Corpo.
O princípio da dependência é o que mais se destaca na vida de um corpo, pois todos os membros, ou órgãos, são interdependentes. As figuras escriturais são muito sábias quanto ao que elas representam na realidade, e como tal, devemos pensar por um instante num corpo físico natural, que é a figura usada, para podermos compreender melhor os significados espirituais de sermos um só Corpo em JESUS.
Nenhum órgão do corpo humano, ou mesmo de animais, consegue viver sem os demais órgãos. O coração, por exemplo, necessita do oxigênio que é fornecido pelos pulmões; mas os pulmões necessitam de músculos para ser acionado; os músculos, por sua vez, necessitam de nutrientes, que são fornecidos pelo fígado, após serem ingeridos pela boca e digeridos no estômago. O sangue é o portador de inúmeras substâncias necessárias ao organismo, e também dos dejetos metabólicos que precisam ser filtrados pelos rins, para serem eliminados. Para que o sangue se mova por todo o corpo, é necessário voltarmos ao coração, que foi nosso ponto de partida.
Esta análise bem superficial do funcionamento de um corpo natural já nos dá uma boa idéia da interdependência que há entre os órgãos.
A segunda visão importante acerca do corpo é que cada órgão tem função, aspecto e localização diferente, embora permanecendo em perfeita harmonia e unidade com todos os demais órgãos do corpo, além de cada um, por menor que seja, ser de vital importância para o corpo todo.
As escrituras são claras em mostrar que todos aqueles que estão em JESUS são integrantes individuais do Seu Corpo, e, ao mesmo tempo, também mostra que nenhum deles pode dizer que qualquer outro não seja importante. O princípio espiritual da dependência é a máxima na composição de um corpo, para o que recomendo que você leia o tópico "Estudo dos Princípios Espirituais", caso ainda não o tenha feito.
Combatendo os estereótipos !!!
DEUS declarou em Êxodo 3:14 o seguinte: "Eu sou o que sou". Esta é, sem dúvida alguma, a frase mais completa e definitiva em questão de se definir o Criador. Simplesmente não há definição, pois Ele é tudo, faz tudo, preenche tudo, pode tudo e, principalmente, está acima de tudo.
DEUS declara em Sua Palavra que "Eu faço o bem e crio o mal", e também "Eu abro a ferida e Eu a ato". Sua Palavra também afirma que Ele endurece com quem quer, e igualmente faz misericórdia a quem Lhe apraz". As escrituras também perguntam: "Quem és tu, Ó homem, para discutires com DEUS"? Pode acaso algum homem perguntar a DEUS por que Ele agiu desta ou daquela forma? Pode um homem perguntar a DEUS por que Ele endureceu a um mas fez misericórdia a outro? Pode acaso o vaso perguntar ao oleiro: Por que me fizeste assim?
O que dizer, então, acerca de Seus filhos? Ora, me parece muito claro que os Seus filhos, do mesmo modo, tendo agora em si a vida de JESUS, igualmente não podem ser definidos ou moldados em estereótipos humanos, na constante busca de definir um padrão para se reconhecer exteriormente qualquer um deles.
Muitos esforços humanos têm sido feitos ao longo dos séculos, no sentido de definir exteriormente "quem é e quem não é". Seja pela vestimenta, seja por determinados comportamentos, seja por obediência a regras criadas por eles próprios, seja por determinadas formas de falar, como os jargões padronizados, enfim, tudo já foi tentado no sentido de se poder criar um julgamento, cujo cabe exclusivamente a DEUS, pois somente Ele, e mais ninguém, sabe quem realmente creu em JESUS, e se tornou filho por causa disso, e também quem não creu.
Já houve época em que andar com uma Bíblia em baixo do braço servia para criar um estereótipo de alguém interessado na verdade escritural, mas sabemos muito bem que há certas Bíblias que infelizmente só servem para andar debaixo do braço, quase como um amuleto de sorte, porém sem ser aberta e lida, e sem que o amor pela verdade realmente ocupe o coração de seu portador.
Outros já acharam que o verdadeiro convertido tinha que ter uma aparência de cordeirinho manso, que nunca levantasse sua voz, e que, de preferência, orasse sempre antes das refeições. Estes nem conseguem imaginar a cena de JESUS com chicote nas mãos expulsando do templo os que vendiam e virando as mesas. Será que Ele falou "baixinho" com os cambistas quando lhes disse: Vós transformastes a casa de Meu Pai em covil de salteadores!?
Inúmeras são as religiões onde as pessoas são obrigadas a usar terno e gravata, caso contrário são consideradas indignas, ou, pelo menos, displicentes. Para estas pessoas, se você disser muitas tolices e enganos, estando de terno, será mais bem ouvido e receberá mais atenção do que se disser profundas verdades espirituais, estando de calça de brim e chinelos.
DEUS tem filhos que usam terno, outros que usam fardas, outros que usam macacão, outros que usam calças jeans e outros que usam bermudas e chinelos. São todos igualmente Seus filhos sem que a vestimenta caracterize qualquer virtude ou defeito espiritual.
DEUS tem filhos que são financeiramente ricos e outros que são menos abastados quanto a isso. Ele tem filhos que receberam estudo e outros que não conhecem senão as primeiras letras. Ele tem filhos mais desenvoltos no falar e outros menos. Ele tem filhos pretos, brancos, mulatos, asiáticos, de todas as etnias; altos, baixos, magros e gordos, homens e mulheres. Isto tudo, simplesmente porque o espírito não possui etnia, nem cor, nem posição social. O espírito humano só pode estar vivo e vestido com vestes brancas ou estar morto e vestido de vestes sujas.
Obviamente, nenhuma aparência externa retrata ou caracteriza um convertido, mas sim, na grande maioria das vezes, um religioso. A aparência externa não indica e nem faz de uma pessoa um sincero convertido. Nos meus muitos anos de vida já conheci lobos vorazes vestidos em pele de ovelha, com Bíblia em baixo do braço e frases decoradas sempre presentes nos lábios, quase sempre aqueles jargões repetitivos característicos desta ou daquela organização humana.
Ora, se DEUS, o Pai, "É o que é", então, é claro, Seus filhos "são o que são". Não tente julgá-los pela aparência, comportamento padronizado ou estipulado, uso de jargões religiosos, uso desta ou daquela vestimenta, e muito menos pela comida ou bebida que ingerem. DEUS é o que é, e Seus filhos são o que são.
Combatendo os padrões religiosos !!!
Religião é tudo aquilo que substitui, na vida de uma pessoa, seu relacionamento pessoal com DEUS e com o Seu Messias JESUS. É qualquer hábito, ritual, procedimento, atividade, que sejam usados como "conforto" pessoal, sem que a pessoa tenha de realmente se relacionar com o Pai, DEUS e com o Filho JESUS, em sua vida.
A grande maioria das pessoas de hoje possui um lugar específico para se reunirem. Uns chamam este lugar de "templo", outros de "igreja", outros de "santuário", e por aí seguem os nomes dados, nas diversas religiões.
Qual é o grande erro semeado intensamente nos corações de muitos em relação a isso? A existência deste lugar de reunião se torna para a maioria, o lugar onde se deve ser "bonzinho", santo, cortez, gentil, amável, etc. Na maioria das vezes, em função das demais pessoas que ali também freqüentam.
A compreensão de sermos o Corpo de JESUS nos leva imediatamente a uma conclusão importante: nós somos o Seu Corpo 24 horas por dia, 365 dias por ano, sem férias, sem fins-de-semana e sem feriados. Somos Seu Corpo em casa, no trabalho, na rua, em viagem, no banheiro ou na cozinha.
Já a religião leva a pessoa a ter algum compromisso no lugar e no horário destinado às "atividades espirituais", mesmo que estas atividades sejam enganosas.
Os hábitos religiosos, inexplicáveis à luz das Sagradas Escrituras, são os mais diversos, sendo nada mais que uma supertição ou crendice, que muitas vezes até entram pelos limites da feitiçaria. Começam pelo "sinal da cruz" dos católicos, passando pelas inúmeras supertições de "água benta", e prosseguem desde uma saudação dizendo "paz do senhor" (paz de baal), passando por inúmeros jargões, como "oh glória", "aleluia", etc, dos evangélicos, sem que saibam sequer o que estão dizendo.
Certa vez eu visitei uma igreja evangélica onde o líder "me deu oportunidade" (outro jargão) para falar. Quando ele me apresentou, a religiosidade reinante suscitou muitos gritos de "aleluia", sem que nem me conhecessem ou imaginassem sobre o que eu iria falar. A primeira coisa que eu lhes perguntei foi: "Alguém aqui sabe o que significa "aleluia"? Das quase 200 pessoas que ali estavam, ninguém disse nada. Eu voltei a perguntar: Por que vocês disseram "aleluia", se nem ao menos sabem o que isso significa ou qual a origem desta palavra? O silêncio continuou. Então passei a apresentar-lhes o verdadeiro Criador, o Pai, DEUS, a partir da origem desta palavra que é Haolul-DEUS (Louvado seja DEUS), além de apresentar-lhes também o Nome do Filho e Messias, JESUS.
As construções católicas às quais eles chamam de "igrejas", possuem, para eles, uma inegável conotação de "lugar santo" ou "sagrado". Por outro lado, os evangélicos tentam negar isso em relação aos seus templos, uma vez que afirmam ser apenas "um lugar para reuniões". A verdade por trás disso, contudo, é bem diferente, uma vez que a forma como se comportam em relação a este "lugar de reunião" não é simplesmente de lugar de reunião. Algumas denominações evangélicas constroem o que chamam de "catedrais", bem ao estilo católico; outras chamam o "lugar de reunião" de "santuário", sendo que não é permitido fazer ali as mesmas coisas que fazem fora dali, ou até mesmo conversar ali determinados assuntos que se conversam fora dali. Algumas destas denominações, que possuem um prédio maior, têm até uma sala ou salão cujas portas estão fechadas todo o tempo, a espera de alguma situação especial que "mereça" acontecer ali dentro, quase como uma reprodução do "Santo dos santos" do antigo templo judaico.
Vejamos nos textos reproduzidos abaixo, o que as Sagradas Escrituras falam acerca do modo dos primeiros convertidos se reunirem:
1) "Ele está hospedado com Simão, curtidor, cuja residência está situada à beira-mar".
2) "Então, levando-os para sua própria casa, lhes pôs a mesa; e, com todos os seus, manifestava grande alegria, por terem crido em DEUS".
3) "Tendo-se retirado do cárcere, dirigiram-se para a casa de Lídia e, vendo os irmãos, os confortaram".
4) "....e assaltando a casa de Jasom, procuravam trazê-los para o meio do povo".
5) "Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui, os quais Jasom hospedou".
6) "E posto que eram do mesmo ofício, passou a morar com eles (com Áqüila e Priscila) e ali trabalhava...".
7) "Saindo dali, entrou na casa de um homem chamado Tício Justo, que era temente a DEUS.... e ali permaneceu um ano e seis meses, ensinando a Palavra de DEUS".
8) "... jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa, e de vo-la ensinar publicamente, e também de casa em casa".
9) "... acompanhados de todos, cada um com sua mulher e filhos, até fora da cidade; ajoelhados na praia, oramos".
10) "No dia seguinte partimos e fomos para Cesaréia; e, entrando na casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele".
11) "...e alguns dos discípulos também vieram de Cesaréia conosco, trazendo consigo Mnasom, natural de Chipre, velho discípulo, com quem nos deveríamos hospedar".
12) "Perto daquele lugar havia um sítio pertencente ao homem principal da ilha, chamado Públio, o qual nos recebeu e hospedou benignamente por três dias".
13) "...partiam pão de casa em casa".
14) "...saudai igualmente a IGREJA que se reúne na casa deles (de Áquila e Priscila)".
15) "Falavam alguns a respeito do templo, como estava ornado de belas pedras e de dádivas; então disse JESUS: Vedes estas coisas? Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada". Lucas 21:5,6
16) "CRISTO, porém, como Filho, em Sua casa, a qual casa somos nós,...". Hebreus 3:6
A reunião de casa em casa ou em lugares públicos é a tônica do livro de Atos quanto à reuniões dos convertidos a JESUS nos primeiros anos da IGREJA.
Notamos que aquele mesmo templo que JESUS defendeu expulsando os vendilhões, ainda dentro da velha aliança, antes que se rasgasse o véu do Santo dos santos, era agora declarado como extinto, pois o que era figura cedeu lugar ao real. O lugar da habitação do Altíssimo, seria agora em Sua IGREJA, e não em uma casa feita por mãos humanas, cuja foi entregue por DEUS nas mãos dos romanos para ser destruída, no ano 70.
O verdadeiro templo de DEUS
JESUS afirmou: "Aquele que Me amar será amado por Meu Pai que está no céu, e Nós viremos a ele, e faremos nele morada".
DEUS também declarou em Sua Palavra que: "Eu não habito em casas feitas por mãos humanas". E Ele diz mais: "O céu é o Meu trono, e a terra o estrado dos Meus pés. Que casa me construiríeis vós?".
Escrituralmente é muito claro que nenhum prédio ou construção humana recebe de DEUS especial atenção e nem se torna Sua moradia. Pelo contrário, o que está muito claro é que o lugar da habitação do Altíssimo é no nosso interior, no interior daqueles que crêem em JESUS.
As escrituras afirmam igualmente que o nosso corpo é o templo (lugar da habitação) do ESPÍRITO ESPÍRITO SANTO(Espírito O Santo). Assim vemos, maravilhosamente, que nós, os que cremos, somos de fato o templo do Altíssimo, e somos tal templo onde quer que estejamos. Nós não vamos a nenhum templo e nem construímos nenhum templo, mas nós SOMOS o templo, 24 horas por dia, 365 dias por ano.
Portanto, fique claro, que o conceito de templo, na Nova Aliança, se refere ao coração dos salvos em JESUS e não a construções feitas por mãos humanas. Templo não é um lugar onde se vá, mas sim as pessoas que crêem em JESUS e lavaram suas vestes no DAM (sangue) de JESUS CRISTO.
Neste ponto, o conceito de sermos o Corpo de JESUS e ao mesmo tempo sermos a morada da habitação do Altíssimo, ou Seu templo, se combinam maravilhosamente numa figura de fácil entendimento que representa com perfeição uma realidade espiritual de vida do Pai, DEUS, do Filho, JESUS e do Espírito O Santo, ESPÍRITO ESPÍRITO SANTO em nós, resultando numa perfeita unidade para toda a eternidade, onde temos a vida eterna pelo simples fato da Fonte de Vida habitar em nós.
Como vivem os renascidos em JESUS ?
Em primeiro lugar, precisamos atentar bem para alguns textos escriturais, de modo a podermos compreender com exatidão este assunto.
JESUS disse: "O Vento (ESPÍRITO) sopra onde quer, ouves a Sua voz, mas não sabes de onde vem e nem para onde vai. Assim é todo o que é nascido do ESPÍRITO (Espírito)". As escrituras igualmente afirmam que "aqueles que são guiados pelo ESPÍRITO ESPÍRITO SANTO(Espírito O Santo) são filhos de DEUS". Em hebraico a palavra ESPÍRITO é usada tanto para "Espírito" como para o "Vento", motivo pelo qual JESUS falou referindo-se com clareza ao sopro ou vento como figura do ESPÍRITO ESPÍRITO SANTO(Espírito O Santo) e Sua direção para a vida dos renascidos.
Ora, que planejamento pode fazer o homem, se sendo ele nascido do ESPÍRITO não sabe para onde vai? As religiões estão repletas de planejamentos. As atividades do semestre ou talvez do ano são afixadas nos quadros de avisos, para serem "religiosamente" cumpridas. Eles mesmos estabelecem suas próprias metas e por sua decisão humana as tentam alcançar.
Nós lemos nas Sagradas Escrituras que Felipe, logo após a imersão do eunuco, foi trasladado. Será que Felipe tinha planos para aquele dia no lugar onde estava? Será que ele estava seguindo o planejamento do "quadro de avisos"? Qual foi o planejamento de Shaúl (Paulo) para ser levado preso à presença de magistrados? Será que Shaúl "planejou" um naufrágio onde nenhuma vida se perderia?
O Corpo de JESUS não se conduz a si mesmo e não faz planos para si mesmo, pois quem planeja e determina é sempre a Cabeça, e não o Corpo. Como princípio básico temos sempre que considerar que tudo aquilo que não tem origem em DEUS não permanece. JESUS disse: "Toda árvore que Meu Pai celestial não plantou, será arrancada".
Os planejamentos humanos nada mais são do que árvores que DEUS não plantou, e por mais altas que estas árvores possam se tornar, certamente chegará o dia em que serão arrancadas e lançadas no fogo.
Não foram poucas as vezes na minha vida em que DEUS me conduziu a lugares e tarefas que eu jamais havia pensado ou planejado, e não achava sequer que fossem possíveis de acontecerem. O que eu tinha em mente para aquele dia ou para aquela semana? Isso pouco importa. O Corpo, seja em grupo ou individualmente, vai e faz aquilo que a Cabeça comanda, pois é na Cabeça que está o planejamento, não no Corpo.
Cabe ao corpo:
1) Aguardar, em espírito de oração e louvor, determinações que venham da Cabeça, JESUS.
2) Evitar criar estratégias próprias e metas próprias que não tenham origem em JESUS.
3) Estar sempre disponível para qualquer ação determinada pela Cabeça.
4) Obedecer fiel e minuciosamente qualquer comando que parta da Cabeça, JESUS.
5) Permitir-se renovar e receber crescimento pela Cabeça, JESUS.
6) Seguir adiante no Caminho a cada novo ensinamento da Cabeça, JESUS.
7) Manter a harmonia orgânica, pelo exercício fiel da função de cada membro para com os demais membros.
8) Guardar-se da contaminação do mundo.
9) Evitar o pecado.
10) Manter sempre desimpedido o fluir do amor de JESUS para todos.
Longe de se criar algum novo decálogo, os itens acima são apenas, eu diria, alguns dos mais importantes cuidados a serem observados pelos santos renascidos em JESUS.

  
 
    A Relação do Cristão com o Governo
     
    Os cristãos estão no mundo, mas não devem ser do mundo (João 15:17). Os cristãos vivem no mundo como peregrinos, considerando-se cidadãos do céu (Filipenses 3:20). Entretanto, os cristãos também têm responsabilidades como cidadãos dos países da terra. Como pode um cristão conciliar os conflitos entre duas cidadanias, a terrestre e a celestial? O que as escrituras ensinam sobre os governos nacionais e a responsabilidade de um cristão para com eles?
Princípios
A pergunta que pretendiam usar como armadilha deu a Jesus a oportunidade para Ele definir a relação básica de um cristão com o governo. Veja a pergunta: "É lícito pagar tributo a César, ou não?" (Mateus 22:17). Os inimigos de Jesus pensaram que tinham maquinado um dilema sem saída. Se Jesus dissesse para pagar os impostos, ele não só ficaria impopular (porque os judeus odiavam ter que pagar impostos aos dominadores romanos) mas também poderia ser retratado como sendo contra Deus, uma vez que Deus exige fidelidade exclusiva. Mas, se Jesus dissesse para não pagar, ele seria preso pelos romanos, por traição. A maneira como Jesus resolveu o dilema foi impressionante. "Jesus, porém, conhecendo-lhes a malícia, respondeu: Por que me experimentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda do tributo. Trouxeram-lhe um denário. E ele lhes perguntou: De quem é esta efígie e inscrição? Responderam: De César. Então lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus" (Mateus 22:18-21). Jesus pediu uma moeda e perguntou o nome e a cara de quem estavam nela. É claro, essas moedas eram propriedade de César: Elas tinham sua assinatura e sua imagem nelas. Os judeus estavam recebendo os benefícios da dominação romana e tinham obrigação de pagar pelo que eles estavam recebendo e devolver a propriedade de César quando exigida. Ao evitar a armadilha, Jesus lançou o princípio básico regulando a relação do cristão com o governo: o homem tem uma dupla natureza e uma dupla cidadania. O homem tem responsabilidade para com o governo, no campo civil e para com Deus, no campo espiritual. Normalmente, é possível dar tanto a Deus como ao governo o que lhes é devido. Em geral, quando alguém se torna um cristão, ele não se retira do mundo nem corta todas as relações terrestres, mas leva os princípios cristãos para cada relacionamento da vida (1 Coríntios 7:17-24).
Paulo ampliou estes pontos e deu uma explicação mais completa do papel do governo no plano de Deus. "Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores: porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade, resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor quando se faz o bem, e, sim, quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem, e terás louvor dela; visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. Por esse motivo também pagais tributos: porque são ministros de Deus, atendendo constantemente a este serviço. Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra" (Romanos 13:1-7). Paulo mostrou que as autoridades superiores são estabelecidas por Deus. Deus é o rei e o soberano sobre as nações (Salmo 47; Daniel 4; Jeremias 18:5-10). Deus estabeleceu autoridade em muitas áreas da sociedade. Na família, por exemplo, Deus estabeleceu o esposo e o pai como autoridades. Do mesmo modo, Deus constituiu o governo civil como a autoridade da nação. Deus instituiu o governo civil para servir como seu ministro para o bem: para louvar o que é direito e para vingar o mal. Princípios de justiça e direito são o alicerce do governo do universo, por Deus, e foram planejados por Deus para serem, do mesmo modo, o alicerce dos princípios do governo civil (Salmo 89:14-15; Jeremias 22:1-5; Provérbios 14:34).
O uso que Deus faz do governo para punir o mal é importante. No contexto (Romanos 12:17-21), Deus proibiu os indivíduos de vingar o mal pessoalmente. Deus é o vingador. Então, no capítulo 13, vemos que um dos meios que Deus usa para punir o mal é o governo civil. Este capítulo autoriza o governo a usar a espada, para executar a pena de morte (Romanos 13:4). Isto está de acordo com um princípio básico de justiça e direito revelado por Deus, muito no começo da história humana: "Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem se derramará o seu; porque Deus fez o homem segundo a sua imagem" (Gênesis 9:6). Hoje em dia, esta tarefa de executar a justiça por meios de castigar os malfeitores deve ser feita pelo governo (veja também 1 Pedro 2:13-17). O governo tem o direito dado por Deus para usar os princípios da justiça para punir os malfeitores.
Responsabilidades
O cristão tem certas responsabilidades em relação ao governo:
1. O cristão deve orar pelos funcionários do governo (1 Timóteo 2:1-2).
2. O cristão deve pagar os impostos (Mateus 22:21; Romanos 13:6-7). É errado o cristão deixar de pagar os impostos que ele legalmente deve. Deus espera que o cristão aja com honestidade e integridade em todas as áreas da vida.
3. O cristão deve obedecer o governo e suas leis (1 Pedro 2:13; Romanos 13:1-2, 5). De fato, Deus espera que o cristão respeite e se submeta à autoridade de todas as formas (Tito 3:1). Uma atitude revolucionária é condenada (Provérbios 24:21-22). Não há, na Bíblia, nenhuma passagem que especifique uma forma particular de governo (democracia, república, monarquia, etc.); o cristão deve submeter a qualquer tipo de governo que tem o poder. Em resumo, os cristãos obedecem à lei.
4. O cristão deve honrar o governo (Romanos 13:7; 1 Pedro 2:17). Tem que ser cuidadoso para não difamar os funcionários do governo (Judas 8-10).
Limite
Há um limite básico para a obediência do cristão ao governo: ele tem que obedecer a Deus antes que ao homem (Atos 5:29). O cristão não pode nunca permitir que qualquer autoridade, de qualquer tipo, suplante a autoridade de Cristo. A autoridade de Cristo está acima da autoridade do pai, do esposo, do presbítero da igreja, do chefe no trabalho ou do funcionário do governo. Nunca podemos desculpar a desobediência a Deus baseados em alguma lei ou decisão do governo. Temos que obedecer a Deus antes que ao homem!
Pense numa ilustração moderna. Algumas vezes, as pessoas se valem das leis liberais do governo, a respeito do divórcio, para desculpar sua ignorância do que Deus disse. Basicamente a Bíblia condena o divórcio (Mateus 19:6) e diz que as pessoas que estão casadas segunda vez, estão cometendo adultério (Mateus 5:32; Marcos 10:11-12; Lucas 16:18; Romanos 7:2-3). Uma exceção é dada: aqueles que se divorciam de seus cônjuges por infidelidade sexual podem tornar a se casar (Mateus 19:9). Freqüentemente, o governo permite o divórcio e novo casamento por outras razões. Não podemos nunca pensar que a permissão do governo, automaticamente, significa a aprovação de Deus. Historicamente, os governos têm aprovado tudo, desde a idolatria até o assassinato. Mas, com permissão do governo ou não, um cristão jamais tem o direito de desobedecer a Deus.
Deus autoriza a existência do governo civil e manda os cristãos obedecerem. Mas, como em qualquer relacionamento humano, as expressas ordenanças de Cristo têm mais autoridade do que as ordens de qualquer homem ou instituição.

Meu novo livro...Clique aqui e leia online...

Compre o livro pelo link ao lado: http://www.bookess.com/read/9585-uma-nova-historia-/ ou entre em contato pelo e-mail richard.rossini.atanes@gmail.com para comprar com desconto diretamente com o autor..