quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O Vaso nas mãos do Oleiro.


O Vaso nas mãos do Oleiro.

Jr 18.2
Assim como o Senhor levou o profeta a observar o oleiro fabricando o seu vaso de barro, que, por não ter ficado bom, necessitava ser refeito, assim também Deus faz uma alusão à mudança de vida necessária que devemos ter para que o agrademos.

O que significam as figuras da olaria nos projetos de Deus?

O OLEIRO:
O próprio Senhor se identificou como o oleiro “entregue à sua obra”. Essa é a figura do oleiro que está trabalhando na construção de vasos de barro e que, certamente, tem uma visão e um projeto específico para cada um de seus vasos. Vê-se claramente que esse Oleiro não Se dá por satisfeito com vasos de qualquer jeito. Ou o vaso sai como deve ser ou terá de ser refeito. Nosso Deus é um Oleiro muito exigente e tão Perfeito na Sua obra, que não tem dificuldade alguma para recomeçar a formação de um vaso sempre que for necessário.

O BARRO:
Nós somos o barro e o Senhor é o Oleiro, ou seja, Aquele que põe as mãos no barro para formar os vasos que Ele idealizou.
Deus tem experiência com o barro e sabe fazer grandes obras com ele. Desde a criação do homem que Ele lida com o barro (Gn 2.7).
A AMASSADEIRA:
Em toda oficina de oleiro tem a amassadeira, que é um recipiente onde o barro é colocado para ser molhado com água e amassado até chegar no ponto de poder ser moldado. Em alguns casos, o barro bruto é primeiramente socado e pisado até que os torrões de terra maiores e mais resistentes sejam quebrados; depois, com as mãos, o oleiro vai destruindo os torrões menores, esfarelando-os um a um.
A amassadeira não é um lugar muito agradável de se trabalhar, nem bonito de se ver, porque ali se pisa no barro ou se coloca a mão nele, e o aspecto daquela caixa de madeira é de lama e sujeira. No entanto, nenhum oleiro pode dispensar a amassadeira se quiser fazer um bom vaso; logo, para que se tenha um bom vaso, ela é extremamente necessária. Muitos de nós queremos ser vasos moldados e usados por Deus, mas não queremos passar pela amassadeira de Deus.
Precisamos entender que o primeiro passo na formação de um vaso é ser barro nas mãos do Oleiro e o segundo passo é entrar na amassadeira de Deus. Com torrões, grandes ou pequenos, o resultado da obra fica comprometida e nosso Oleiro sabe disso. É por isso que às vezes Deus precisa que sejamos “moidos e esmigalhados” para darmos boa obra em Suas mãos. São muitos os meios que Deus usa para nos moer: dificuldades, circunstâncias adversas, pedidos não respondidos, humilhações, certos fracassos e derrotas, portas fechadas, caminhos obstruidos etc.

A ÁGUA:
Em todas as amassadeiras o oleiro usa água para amolecer o barro. Eis uma figura maravilhosa do Espírito Santo no processo da confecção dos vasos de Deus. Sem Ele a amassadeira se torna inviável e jamais o barro poderá ser moldado.
Quando as águas do Espírito nos encharcam que oferecemos menos resistência e nos tornamos mais moldáveis nas mãos do Senhor. Precisamos ser mais sensíveis à ação do Espírito Santo, para que cheguemos a ser os vasos que o Oleiro quer que Sejamos.

A RODA DO OLEIRO:
A roda é a mesa de trabalho do oleiro. Nela o oleiro coloca a massa de barro moldável para dela formar um vaso. Em cima dela está as mãos do oleiro e embaixo dela estão os seus pés; com as mãos ele molda o vaso e com os pés ele movimenta a roda.
É na roda que o oleiro dá forma ao vaso.
A roda do Oleiro representa o nosso caminhar com Deus. Enquanto caminhamos na presença dEle, Ele vai nos conduzindo e moldando. É por isso que às vezes somos literalmente “parados” por Deus quando, aos nossos olhos, estávamos “indo tão bem”. Muitas vezes não entendemos os processos de Deus e ficamos a perguntar: Por que mudar de direção quando tudo vai bem? Por que as coisas travaram?Por que paramos? É possível que seja o Oleiro trabalhando em nossas vidas para fazer de nós vasos segundo o Seu propósito eterno.

O FORNO:
A fornalha do oleiro é uma das fases fundamentais no processo de formação de um vaso. É no forno que o vaso sustentará a forma que o oleiro lhe moldou e a consistência correta para ser vaso. Se não passar pelo fogo o vaso não se prestará para funcionar como um vaso, que além de reter o que nele é colocado, se deixa manusear para verter o que precisa ser derramado. Vaso que não passa pelo fogo perde a forma e não funciona!
Deus tem suas fornalhas para nos enrijecer e nos tornar vasos úteis para a Sua obra. As circunstâncias adversas, as críticas desagradáveis, os elogios, a desonra, enfim, tudo aquilo que possa mexer com nossa essência, positiva ou negativamente, pode representar algum tipo de fornalha de Deus em nossas vidas. Quem passa pela fornalha de Deus, e não perde a forma, se torna vaso útil nas Suas mãos. Como toda olaria tem a sua fornalha, também o fogo de Deus faz parte do processo de formação dos vasos de Deus.
Resistir ao fogo de Deus é rejeitar o processo de formação de Deus. É pelo fogo que o vaso será provado: Portanto, se você está como muitos, freqüentemente na amassadeira e na roda do Oleiro, não desanime, nem abandone o processo, porque isto só prova que há esperança para você, pois o nosso Deus é o Oleiro Perfeito, que jamais desiste de fazer de nós vasos úteis, para honra e segundo o Seu propósito.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Meu novo livro...Clique aqui e leia online...

Compre o livro pelo link ao lado: http://www.bookess.com/read/9585-uma-nova-historia-/ ou entre em contato pelo e-mail richard.rossini.atanes@gmail.com para comprar com desconto diretamente com o autor..